in ,

Lucas do Beco

Biografia

Lucas do Beco, morador do Pedregal, 22 anos, poeta marginal e compositor. A sua entrada na poesia se deu desde muito pequeno, mas foi na cena do SLAM (poesia falada) que ele passou a participar das batalhas e conhecer outros poetas da cidade. Através do convite de um amigo, o mano Bibi também morador do Pedregal, Pedro visitou e se apresentou em um evento da UEPB, intitulado Slam da Balbúrdia em meados de 2019. Esse foi apenas o início da sua jornada na poesia e também nas cenas populares de cultura Slam de Campina Grande.

Desde que iniciou na poesia, Lucas que era catador de reciclagem começou a vender zines (pequenos livretos) das suas poesias nas universidades e escolas. A partir de convites para ministrar oficinas do Projeto Slam na Escola, iniciado e coordenado por Jéssica Preta. Com a quarentena, Lucas ficou impedido de vender suas obras e apresentar seus poemas nessas atividades, impossibilitado também de trabalhar com reciclagem.

A poesia mudou a vida de Lucas, através dela ele passou a inspirar novos poetas, crianças, jovens e adultos moradores do bairro. Na poesia, Lucas passou a usar seu lugar de fala para denunciar as dificuldades e preconceitos por ser negro e morador de favela. Embora o mesmo acredite na poesia como uma ferramenta de transformação social, o jovem poeta fala que mesmo na cena da poesia marginal ele ainda se sente criticado, com poucos artistas apoiando suas ações, só nos artistas de favela e moradores que o mesmo encontra sua rede de apoio.

Lucas tem consciência de que a poesia vem transformando sua comunidade, sua vida e também a realidade de muitos jovens da cidade, com apoio previsto na lei Aldir Blanc o poeta tem certeza que a arte vai crescer sem precedentes na cena local e na história. O artista relembra que foi sua vó quem inspirou sua caminhada na poesia, servindo-lhe de inspiração e conforto, mulher negra, alvo de racismo e dificuldades de classe poderia ter um destino menos dolorido se recebesse apoio para ser reconhecida como artista.

Projetos e Oficinas:

Como poeta, lucas integra o coletivo de artistas e projeto social Batalha do Pedregal. Nesse sentido, o artista desenvolve oficinas onde ensina e estimula a prática do slam, tecendo com os alunos o saber intuitivo e a transmissão de conhecimento proposto no projeto Slam na Escola.

Ao longo de 2019, Lucas integrou a equipe de instrutores de 4 oficinas realizadas na UEPB, UFCG, escola Motiva (CG) e Centro de Educação Integrada da Vila Malvinas. O poeta também foi finalista do Estadual de Poesia Falada (João Pessoa, 2019) onde apresentou também um repertório de sua música. Suas atuações são sua principal fonte de renda como poeta, nelas são vendidos seus livros de poesia (Zine) ou cobrado ajuda de custo e cachê.

Nas escolas, o poeta se transforma em educador social e constrói uma plataforma de comunicação capaz de integrar diferentes realidades ao contexto da poesia. A arte é um combustível para a cultura e o processo educativo, jovens se sentem motivados a externar seus pontos de vista e debater conceitos e valores inerentes ao aprendizado e as vivências.

Documentário e Entrevistas

(Apresentação de Repertório no Evento Slam da Balbúrdia no Parque Bodocongó/Cg 2019)

What do you think?

Written by yochanbeck

Deixe uma resposta

Cadastro de Artistas Marginais (PB)

Mc Nathan